terça-feira, 4 de setembro de 2012

1995



O sapo faz 17 anos e hoje quando liguei o computador para ver as notícias do dia, tinha logo a seguinte frase em destaque: Tem saudades de 1995? Para que fique registado há poucos dias proferi uma frase e um desejo semelhante, embora num contexto diferente. Será este o post Coincidências #3!? Assim o sapo faz-nos recordar 10 artistas que marcaram a época e aproveito que ao molho fica mais barato, para deixar o meu comentário geral acerca destes artistas.

Tricky nunca prestei atenção porque não era o meu som.

PJ Harvey idem, podia bem ter sido influenciado por quem gostava, mas sempre achei uma cantora difícil, no entanto consigo gostar de “Good Fortune” que tem uma sonoridade mais pop.


Alanis Morissette, foi talvez o grande nome de 1995. Recordo-me de comprar o CD, de ser apanhado pela onda, de ouvir Alanis em todo lado: nas rádios, na TV, na casa dos amigos. Segui-lhe a carreira, ouvi-a passar de rock para pop e suavizar-se cada vez mais. Alanis está de volta com novo álbum que ainda não conheço. 


Bjork, ouvia mas não percebia o fascínio que provocava nas pessoas. Diferente ou irreverente, estranha ou maluca, não era o meu som favorito e mais uma vez a minha tendência para o pop fez-me gostar do inesquecível “It’s oh so quiet”.


Dos Garbage e Shirley Manson já falei aqui. Já sabem que cantoras ou bandas com ruivas á frente são o meu forte e mais não digo.

Não sei porquê, mas teimam em associar Blur com Oasis, (assim com Pulp com Suede), só porque foi a era do british alternative rock a cheirar a pop comercial, com muitas músicas orelhudas e muitos hits para a posteridade. Consumi doses consideráveis de todos.


Dos No Doubt ou melhor, Gwen Stefani também já aqui falei e estão de volta com o mesmo estilo que os caracterizou.

Quanto aos Smashing Pumpkins, tenho a dizer que, tal como gosto de pop, assim gosto de rock alternativo com reminiscências de punk. Os Smashing criaram uma legião de fãs em Portugal e eu não sendo fanático gostei de tudo.


Da Weasel, as bandas portuguesas nunca foram o meu forte na adolescência, muito menos em estilo hip hop, por isso de todos é aquele que menos apreciei.

Mea culpa por ter certas preferências, mas não é por isso que os gostos são limitados. O mundo da música é tão vasto e cresce todos dias, não temos que gostar de tudo aquilo que os outros gostam, nem temos que vibrar todos com os mesmos hits do momento... acho que a diversidade é aquilo que nos distingue.

Um comentário:

Diário da Actualidade disse...

Oasis é mt bom !!
Tive pena de não ir ver os Smashing Pumpkins no Campo Pequeno !!
Dos Da Weasel, só gosto desta:http://www.youtube.com/watch?v=g2kSrb1ZdOY ,e não são muito fã de hip hop !!